Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

10 frases de O Pequeno Príncipe que são importantes lições de vida para todos

Pequeno principe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Estas dez frases de O Pequeno Príncipe são valiosas lições de vida para todos nós.

O francês Antoine de Saint-Exupéry escreveu O Pequeno Príncipe.

No livro, publicado pela primeira vez em 1943, o autor registrou várias frases marcantes que até hoje conquistam o coração dos leitores.

O interessante é que a história é tão engenhosa, que acaba alcançando um público de diferentes idades – desde as crianças até os adultos mais velhos.

Uma dica de quem já leu o clássico aos 12 anos e depois releu numa idade bem mais avançada: se você só teve contato com essa leitura na infância, de repente, até por sugestão da escola, permita-se ler outra vez.

Acontece que o livro é cheio de mensagens riquíssimas, mas a maioria delas requer uma leitura madura para absorver importantes lições.

Só para você ter ideia da importância da obra, O Pequeno Príncipe foi traduzido para mais de 200 idiomas.

Isso não foi por acaso!

Nesta matéria, separamos algumas citações de “O Pequeno Príncipe” que nos fazem refletir sobre a vida, o amor e a amizade.

Anote e guarde no seu coração:

“Eis o meu segredo: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

Esta frase de O Pequeno Príncipe nos ajuda a entender que a aparência é absolutamente irrelevante quando se trata de enxergar o melhor de alguém.

Para conhecemos o interior de uma pessoa, é preciso um olhar mais profundo, deixando de lado os preconceitos e a superficialidade.

Se conseguirmos isso, encontraremos a essência de cada um.

“É muito mais difícil julgar a si mesmo do que os outros. Se você se julgar corretamente significa que é um verdadeiro sábio.”

Aqui podemos pensar sobre o quão é importante reconhecermos nossos erros.

Reconhecendo-os, temos a oportunidade de nos transformar em pessoas melhores.

Infelizmente, a maioria de nós só consegue apontar as falhas dos outros, mas nunca percebe as próprias limitações.

“Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo.”

Tem como ler isso e não pensar na dedicação que precisamos dispor aos amigos?

É entendendo a importância e oferecendo qualidade de tempo que cultivamos nossas amizades.

“É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar.”

Às vezes, exigimos das pessoas mais do que elas podem fazer.

Assim, acabamos gerando frustrações e relacionamentos feridos.

Todo mundo tem uma essência, limitações… e precisamos respeitar isso.

“Os homens cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim e não encontram o que procuram. E, no entanto, o que eles buscam poderia ser achado numa só rosa.”

Esta bela citação nos diz que devemos valorizar as pequenas coisas da vida.

Muitas vezes, o que há de mais precioso está bem ao nosso lado e não conseguimos enxergar.

O ser humano tende a preencher o vazio com dinheiro, sexo, fama, exposição da beleza… mas, se soubesse reconhecer a beleza da “rosa” certa sem demora, não cairia em tais distrações.

“A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixa cativar.”

Seja qual for o relacionamento – familiar, amoroso… – sempre há uma grande chance de sofrermos em algum momento da vida.

A saudade, as decepções, a divergência de ideias…

Tudo isso é possível quando cativamos e nos deixamos ser cativados pelos outros.

E qual é a lição que fica?

Saber que vale a pena!

Vale a pena construir muros, apesar de corremos o risco “de chorar um pouco”.

Não há nada melhor do que amar e se sentir amado.

“Quando a gente anda sempre em frente, não pode ir muito longe.”

Isso nos faz pensar na flexibilidade que a vida exige.

É preciso saber pegar novos caminhos, sabiamente, quando a estrada nos limita.

“Todos os adultos já foram crianças… mas apenas alguns se lembram disso.”

Antoine de Saint-Exupéry escreveu O Pequeno Príncipe

O autor, Saint-Exupéry, nos confronta: pessoas crescidas ficam muito rígidas com o passar do tempo.

Não devemos parar a diversão e o encanto que aprendemos a nutrir na infância.

Adultos podem rir, amar, dançar, viajar e viver alegremente sem perder a responsabilidade que a vida exige.

“É preciso que eu suporte duas ou três lagartas, se eu quiser conhecer as borboletas.”

Geralmente não é fácil conquistar nossos objetivos.

Há coisas na vida que só conseguimos com muito esforço.

Durante o caminho, podemos nos desanimar com as dificuldades, mas é bom lembrar que as “lagartas” são perfeitamente normais em nosso mundo.

No entanto, com determinação, podemos alcançar as borboletas.

E desse jeito, acredite, é muito mais prazeroso do que se conseguíssemos tudo com grande facilidade.

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

Esta é provavelmente a citação mais famosa do livro.

Apesar de muitos associarem a frase como um perigo aos que estão em relacionamentos abusivos, ela tem muito o que nos ensinar.

Na verdade, ela nos convida a sermos responsáveis quando o assunto é amor.

Ora!, se você cativou intencionalmente alguém, seja prudente e cuide dessa pessoa.

Lógico que é preciso reciprocidade.

Quem dera que todo mundo lesse e absorvesse as mensagens de O Pequeno Príncipe, não é mesmo?