PUBLICIDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

10 dicas para acalmar seu cão ou gato durante os fogos do ano-novo

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Todo final de ano os donos de cães e gatos se preocupam com os fogos de artifício. Em especial, na virada do ano, os bichinhos ficam muito atordoados.

Em alguns locais, os fogos de artifício foram até proibidos, para não assustar os animais.

No entanto, a cultura de soltar fogos de artifício no fim do ano, principalmente, no ano-novo, é comum em todo o país e no mundo.

Assim, quem tem um cão ou um gato de estimação, costuma passar maus bocados nessas ocasiões.

Os fogos de artifício não só assustam os animais, mas também trazem prejuízos aos pets – de acordo com especialistas.

Por exemplo:

  • Ansiedade
  • Agitação
  • Latidos incessantes  
  • Agressividade
  • Fobia
  • Palpitação
  • Alterações na pressão arterial
  • Problemas de audição
  • Vômitos

Na verdade, o barulho causado por fogos não faz bem nem mesmo para nós.

No entanto, não passamos por maiores dificuldades, pois sabemos que os ruídos cessarão e não representam um perigo, necessariamente.

Mas os pets não sabem disso… 

Dessa forma, para acalmar e ajudar o seu melhor amigo nesta ocasião, confira algumas dicas importantes!

Cuidados com cães e gatos no ano-novo: 10 dicas

Saia de casa

Se possível, leve o seu pet para um local afastado.

Os grandes centros são normalmente maius agitados, inclusive na virada do ano.

Outra coisa: muita gente pensa que prender o cão ou o gato em casinhas ou com correntes é uma boa solução.

No entanto, isso deixa o animal sem rota de fuga.

Assim, ele se sentirá ainda mais vulnerável quando começar a queima de fogos.

Além disso, o pet pode se agitar muito e acabar se machucando por estar preso.

Feche as portas e janelas

Se puder, mantenha janelas e portas da casa fechadas.

Dessa forma, você evita que o pet fuja, caso ele tenha uma crise de pânico com os fogos de artifício.

Além disso, antes das festas, veja se telas e grades de proteção estão ok.

Use um tampão

É possível tapar os ouvidos dos bichinhos com um chumaço de algodão.

No entanto, deve ser parafinado, a fim de não grudar no canal auditivo.

Também, não se esqueça de retirar assim que a queima cessar.

Isso porque o pet pode apresentar inflamações auditivas, caso fique muito tempo com os ouvidos tapados.

Outra forma é usar protetores auriculares especiais para o pet.

Eles são feitos, em geral, de silicone e tendem a reduzir bastante o impacto dos ruídos dos fogos de artifício.

Aplique a técnica TTouch

Esta técnica consiste em pegar o animal no colo e, então, envolvê-lo com uma tecido, de forma firme.

Assim, a circulação do animal é estimulada.

Dessa forma, a produção dos hormônios responsáveis pelo estresse é reduzida.

Nunca deixe o pet sozinho

É muito importante sua presença na hora da queima de fogos.

Não abandone seu pet.

A  própria companhia e presença do dono já passam muita segurança e acolhimento ao pet nestes momentos.

Assim, não o deixe sozinho!!!

Mais dicas para ajudar o seu cão e gato durante a queima de fogos

  • Caso você viaje, leve o animal junto. Ou, então, deixe-o com alguém de confiança, que possa substituir você.
  • Alimente seu animalzinho normalmente. Porém, evite alimentos estranhos, em especial, na ceia de ano-novo. O pet pode enjoar e vomitar assim que começar a queima.
  • Passeie, brinque e deixe o animal bem ativo durante o dia. Assim, ele estará cansado quando iniciar a festividade e poderá sofrer menos.
  • Alguns animais, como os gatos, preferem se esconder a ficar sob a proteção do dono. Se for o caso de seu bichinho, deixe que ele se proteja assim. Não force pegar no colo, apenas se ele se sentir melhor e mais protegido.
  • Por fim, jamais puna ou brigue com um pet que está amedrontado ou demonstre uma reação anormal durante os fogos. Se proceder assim, o animal poderá ficar traumatizado – o que pode trazer consequências muito danosas à saúde e qualidade de vida dele.

Pets e situações especiais

Se seu pet já tem alguma enfermidade, é preciso consultar um médico veterinário nessas ocasiões.

Pode ser que seja necessário que seu bichinho tome alguma medicação, como tranquilizantes.

Animais, por exemplo, com problemas cardíacos, neurológicos ou idosos necessitam de supervisão e orientação veterinária.

No entanto, atenção: jamais dê medicamento, ainda que natural, ao seu pet, por conta própria!

Ah, e, obviamente, seja consciente e coerente: não faça queima de fogos em sua casa!

Mais Lidas