Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

10 benefícios do chá de erva-doce reconhecidos pela ciência

Benefícios da erva-doce

O chá de erva-doce tem vários poderes medicinais atestados por pesquisas científicas.

É bem provável que você já tenha tomado o chá das sementes de erva-doce (Foeniculum vulgare). certo?

Mas será que você sabe que a erva-doce, também chamada de funcho, proporciona enormes benefícios à nossa saúde?

Aqui estão dez benefícios da erva-doce:

É altamente nutritiva

O bulbo fresco da erva-doce é rico em vitamina C, essencial para a saúde do sistema imunológico, para a reparação de tecidos e para a síntese de colágeno.

A vitamina C também atua como um potente antioxidante, protegendo contra danos celulares causados pelos radicais livres.

Tanto o bulbo quanto as sementes têm manganês, mineral essencial para a ativação da enzima, proteção celular, desenvolvimento ósseo, regulação do açúcar no sangue e cicatrização de feridas.

Além do manganês, potássio, magnésio e cálcio também são encontrados na erva-doce.

Contém compostos de plantas potentes

O óleo essencial das sementes de erva-doce contém mais de 87 compostos voláteis, incluindo os polifenóis antioxidantes, ácido rosmarínico, ácido clorogênico, quercetina e apigenina.

Estudos demonstram que as pessoas que seguem dietas ricas nesses antioxidantes têm menor risco de doenças crônicas, como doenças cardíacas, obesidade, câncer, doenças neurológicas e diabetes tipo 2.

Além disso, mais de 28 compostos foram identificados nas sementes de erva-doce, incluindo anetol (propriedades anticancerígenas, antimicrobianas, antivirais e anti-inflamatórias), fenchone, metilchavicol e limoneno.

Todos eles ajudam a combater os radicais livres e protege as células dos danos causados ​​por doenças crônicas, incluindo o câncer.

Podem diminuir o apetite

Um estudo realizado com nove mulheres saudáveis mostrou que aquelas que beberam 250 gramas de chá feito com dois gramas de sementes de erva-doce, antes de almoçar, sentiam significativamente menos fome e consumiam menos calorias durante a refeição do que as que tomavam chá com placebo.

Por outro lado, outro estudo que avaliou 47 mulheres descobriu que as que consumiram 300 mg de extrato de erva-doce diariamente, durante 12 semanas, ganharam uma pequena quantidade de peso, em comparação com um grupo placebo.

Pode beneficiar a saúde do coração

A erva-doce e suas sementes são cheias de fibras – essenciais para reduzir fatores de risco de doenças cardíacas, como o colesterol alto.

Uma revisão de 22 estudos associou uma maior ingestão de fibra alimentar com um menor risco de doença cardíaca.

Com cada sete gramas adicionais por dia de fibra, o risco de doença cardíaca foi reduzido em 9%.

Magnésio, potássio e cálcio, presentes no erva-doce, também auxiliam na saúde do coração.

Ajuda a prevenir e combater o câncer

O anetol – um dos principais compostos ativos das sementes de erva-doce – tem propriedades importantes que ajudam a combater o câncer.

Um estudo em tubo de ensaio mostrou que o anetol efetivamente suprimiu o crescimento celular e induziu à apoptose, que é a morte celular programada, em células de câncer.

Outro estudo em tubo de ensaio observou que o extrato de erva-doce impediu a disseminação de células de câncer de mama e induziu a morte de células cancerosas.  

É importante para mulheres que amamentam

A erva-doce tem propriedades galactogênicas, que ajuda a aumentar a secreção de leite.

Estudos encontraram um aumento em parâmetros como volume de leite, conteúdo de gordura do leite e ganho de peso infantil com tratamento à base de sementes de erva-doce.

Outros estudos mostraram que a erva-doce pode aumentar a secreção de leite e as concentrações séricas de prolactina, hormônio que sinaliza ao organismo para produzir leite materno.

Mas cuidado!

Efeitos colaterais negativos, como baixo ganho de peso, também foram relatados em bebês cujas mães beberam chá de erva-doce.

Pode ter propriedades antibacterianas e antifúngicas

O extrato de erva-doce inibe o crescimento de bactérias e fungos potencialmente prejudiciais, como Escherichia coliStaphylococcus aureus e Candida albicans, revelam pesquisas. 

Pode reduzir a inflamação.

Os poderosos antioxidantes da erva-doce, como a vitamina C e a quercetina, podem ajudar a reduzir a inflamação e os níveis de marcadores inflamatórios.

Pode beneficiar a saúde mental. 

Estudos em animais descobriram que o extrato de erva-doce pode reduzir os déficits de memória relacionados ao envelhecimento.

Pode aliviar os sintomas da menopausa

Uma revisão de dez estudos observou que a erva-doce pode aliviar as ondas de calor, prurido vaginal, secura, dor durante o sexo, combater distúrbios do sono e melhorar a satisfação sexual e em mulheres na menopausa.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO