Açafrão – anticancerígeno comprovado

-->
A cúrcuma (Curcuma longa) ou açafrão-da-índia é uma planta da família do gengibre, sendo a raiz a parte mais utilizada na culinária e na medicina. No Brasil, principalmente em Minas Gerais e Goiás, é conhecida como açafrão-da-terra, açafroa ou gengibre amarelo. É no rizoma da cúrcuma longa que está o componente mais ativo da planta, a curcumina, presente em 2% a 5% deste delicioso tempero.

A curcumina comercial, encontrada nos mercados a preços bem acessíveis, contém três cucurminoides que lhe confere a cor amarelo-alaranjada: curcumina (77%), demetoxicurcumina (17%) e bisdemetoxicurcumina (3%).

Ela é muito consumida na Índia, em média 1,5 g a 2 g por dia de cúrcuma, como tempero. É o principal condimento do curry, ao qual ele dá a cor alaranjada. Estudos recentes mostram que podemos ingerir até 8 gramas ao dia sem efeitos colaterais, entretanto a biodisponibilidade celular da curcumina é muito baixa, devido à rápida glucoronidação hepática e intestinal. A adição de pimenta-do-reino aumenta em 2000% a biodisponibilidade do princípio ativo.

Foram encontradas 1.492 referências no Medline sobre a atividade biológica da curcumina. Recentemente a literatura médica mostrou que a cúrcuma possui os seguintes efeitos:

1. Evita o câncer.

2. Aumenta o efeito da quimioterapia nas situações de resistência a múltiplas drogas.

3. É antiaterosclerótico.

4. É anti-inflamatório.

5. Reduz o colesterol.

6. Diminui a oxidação da LDL.

7. Inibe a agregação das plaquetas.

8. Diminui o tamanho da trombose no infarto do miocárdio.

9. Age contra a diabetes do tipo II – é hipoglicemiante, diminui os níveis de hemoglobina glicosilada e diminui a microalbuminúria.

10. Evita/trata a esclerose múltipla: diminui as crises de exacerbação.

11. Retarda o processo degenerativo do Alzheimer.

12. Corrige alguns defeitos da fibrose cística.

13. Evita/ajuda em doenças inflamatórias dos olhos: uveíte anterior crônica, pseudotumor orbital idiopático.

14. Diminui as dores na artrite reumatoide.

15. Age nas doenças de pele: psoríase e dermatites.

16. Tem efeito na esclerodermia.

17. Estimula a regeneração muscular.

18. Melhora a regeneração das feridas.

19. Cicatriza escaras.

20. Protege o fígado e os rins de lesões tóxicas.

21. Aumenta a secreção biliar.

22. Diminui a formação de cálculo biliar.

23. Tem efeito nas doenças inflamatórias de intestino.

24. Protege contra a formação de catarata.

25. Protege o pulmão da fibrose.

26. Inibe a replicação do HIV.

27. Inibe a reprodução das leishmanias.

Efeitos da curcumina no câncer

A curcumina possui uma série de efeitos na prevenção e no tratamento do câncer. É o fitoquímico que inibe o maior número de vias de sinalização, transdução e transcrição que conhecemos e por esse motivo possui potente efeito no câncer como antiproliferativo, apoptótico, antiangiogênico e antimetastático.

Também é um potente agente anti-inflamatório (a inflamação está implicada na carcinogênese).

A cúrcuma é mencionada nos tratados médicos da Ìndia, da China, do Tibete e do Oriente Médio há mais de 2 mil anos.

Atualmente, em idade idêntica aos ocidentais, os indianos têm oito vezes menos cânceres de pulmão que os ocidentais, nove vezes menos câncer de cólon, cinco vezes menos câncer de mama e dez vezes menos câncer de rim. E isso apesar de uma exposição a múltiplos cancerígenos presentes no meio ambiente, numa escala pior que o Ocidente.

O Dr. David Servan-Schereiber (autor do livro Anticâncer), quando pesquisava seu próprio câncer, ficou perplexo ao descobrir que mesmo tumores cerebrais tão agressivos como o temível glioblastoma multiforme, se mostrava mais sensível à quimioterapia quando se prescrevia em paralelo o consumo da cúrcuma.

Em Taiwan, os pesquisadores que tentaram tratar tumores com cúrcuma em cápsulas perceberam que era extremamente mal absorvido pelo organismo, pois a cúrcuma não passa a barreira intestinal. O ideal é sempre ser utilizado misturado à pimenta (piper nigra).

Dica de utilização

Misturar um saquinho comercial de açafrão com meio saquinho de pimenta-do-reino e dissolver em azeite de oliva até formar uma pasta. Utilizar em saladas, sopas, temperos, carnes, feijão, arroz, etc.

Link sobre o assunto: Curcumina e câncer: antiproliferativo, antiapoptótico, antiangiogênico e antimetastático.


Nenhum comentário: