Tratamento natural da hiperatividade e do DDA | Cura pela Natureza.com.br

Tratamento natural da hiperatividade e do DDA

-->
A hiperatividade e o distúrbio de déficit de atenção (DDA) são transtornos mentais muito frequentes nas crianças em idade escolar, atingindo 3% a 5% delas. Para tratá-los de forma natural, siga os passos a seguir.
  • Elimine o açúcar branco da dieta - Muitos estudos sugerem que crianças hiperativas apresentam intolerância à glicose. A tendência à hipoglicemia em crianças hiperativas também apoia os efeitos negativos que o açúcar pode provocar. Alguns estudos de universidades revelam que um café da manhã rico em açúcar e em carboidratos pode acentuar o comportamento hiperativo. Quando se ingeria proteína no café da manhã, a hiperatividade era muito diminuída.
  • Elimine os aditivos alimentares e possíveis alérgenos alimentares - São aditivos alimentares (você encontra esses nomes nos rótulos dos produtos industrializados que seguem as normas vigentes): BHA, BHT, corante vermelho, amarelo, azul e os conservantes. Podemos observar alergia ou intolerância a leite de vaca, chocolate, aromatizante de uva, aromatizante de laranja, cana-de-açúcar, tomate, produtos de trigo, ovos, derivados do leite, nozes, peixe, etc. Os alérgenos alimentares podem causar mudanças de humor, depressão e até alucinações.
  • Elimine sal, refrigerante (altos níveis de fosfato), catchup, mostarda, molho de soja, vinagre de maçã, queijos coloridos, jantares delivery, carnes no lanche, cachorro-quente, carnes defumadas, presunto, trigo, milho, manteiga com corante, margarina, sorvete, doces e perfumes.
  • Não use alimentos com salicilatos: amêndoa, maçã, damasco, cereja, uva-passa, amora, pêssego, ameixa, ameixa seca, tomate, pepino e laranja.
  • Enfatize frutas e vegetais que não estejam na lista de eliminação; cereais, pães, biscoitos que só contenham arroz, aveia ou painço. Faça um quadro de anotações de sintomas todas as semanas com os alimentos consumidos e qualquer reação emocional que possa estar relacionada com aqueles alimentos. Teste e reteste para não culpar alimentos inocentes. O exame de biorressonância testa os 140 alimentos mais frequentemente consumidos, de uma maneira rápida e confiável. Os fosfatos tipicamente encontrados nos refrigerantes foram relacionados com a hiperatividade muscular.

Nutrientes primários
Suplementos minerais: Crianças com ADD podem apresentar uma série de deficiências minerais. Procure um suplemento bom e potente com base orgânica e minerais quelados.

Cálcio e magnésio: Ajudam a acalmar o sistema nervoso e são vitais para a função cerebral normal. Cento e sessenta e cinco meninos com distúrbios mentais e de aprendizado estavam deficientes em magnésio. Dose sugerida: 1.000mg de cada por dia. Use variedades queladas e procure por citrato de cálcio ou gluconato. O ideal é obter tais minerais na dieta diária.

Ácido gama amino butírico (Gaba): Alguns estudos mostram que o uso de Gaba pode reduzir a hiperatividade e beneficiar crianças com distúrbios de aprendizagem.

Vitamina B6: Uma vitamina extremamente importante para a função mental normal. Indivíduos com dificuldades de aprendizado, esquizofrenia e outros distúrbios mentais frequentemente apresentam deficiência de vitamina B6. Um estudo confirma alguma melhora em indivíduos esquizofrênicos que não respondiam à terapia com drogas psicotrópicas. Dose sugerida: 50 mg em cada refeição. O importante é repor os 45 nutrientes essenciais e retirar os metais tóxicos.

Centella asiática: Pode melhorar a habilidade mental de crianças inaptas, dada sua propriedade antiansiedade. Após a terapia com a centella asiática, 30 crianças que eram consideradas inaptas foram capazes de focar suas tarefas e concentrar-se mais.

Raiz de valeriana: Na Alemanha, essa erva tem sido usada com sucesso para tratar distúrbios do comportamento da infância.

Ácidos graxos ômega-3: Alguns levantamentos mostram que, para algumas crianças com ADD, a suplementação com lipídeos marinhos parece proporcionar alguma melhora. Os mecanismos exatos envolvidos ainda permanecem desconhecidos. O importante é manter uma relação ômega-6 / ômega-3 de 4 para 1. Atualmente a alimentação moderna proporciona elevadas quantidades de ácido linoleico, ômega-6, que é pró-inflamatório e diminui a concentração. O suplemento de óleos marinhos ou mesmo do óleo de linhaça, rico em ácido linoleico, melhora a memória e a concentração em alguns estudos. Ingerir como recomendado e usar um suplemento de vitamina E com óleo de peixe ou óleo de linhaça.

Nutrientes secundários

Vitamina C com bioflavonoides: Considerada um bom antioxidante, essa vitamina também ajuda a atacar os efeitos do estresse.

Tirosina: Ajuda a aumentar os níveis de dopamina, promovendo uma melhora na "vigilância" mental. Ingerir como recomendado com o estômago vazio e com suco de frutas.


Outras terapias de apoio
Terapia para resposta dos pais

Isso impõe que nenhuma atenção seja dada ao comportamento negativo de qualquer tipo e esbanje elogios ao comportamento positivo. Isto requer um ambiente controlado, onde a criança não possa machucar outras crianças ou mesmo a si própria, e necessita de dedicação especial para obter sucesso. Os resultados de programas que utilizam esta forma de terapia são muito promissores.

Terapia com artes

Saídas criativas com pintura a dedo ou escultura podem ser uma grande ajuda para canalizar a energia e encorajar a satisfação pessoal.