Fibra da casca de maracujá contra gordura

-->

A fibra da casca do maracujá é um bloqueador natural de gordura, por isso ajuda na redução da taxa de colesterol e na diminuição da glicemia.

A casca do maracujá, transformada em farinha, diminui a taxa de açúcar no sangue e impede que o organismo absorva a gordura dos alimentos, fazendo você perder peso. E não tem contra-indicação.

Ela chegou ao mercado com a fama de ter o poder de baixar as taxas de açúcar no sangue, o que é ótimo para quem tem diabete. Mas, aos poucos, a farinha feita com a casca do maracujá também se revelou um excelente bloqueador de gordura. Ou seja, impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos, ajudando você a perder peso.

A substância responsável pelo poder emagrecedor é a pectina, encontrada em grande quantidade na parte branca da casca da fruta. A farinha não fica atrás: tem 20% dessa fibra, segundo estudo feito pelo químico e pesquisador Armando Sabaa Srur, da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “No estomago, a pectina se transforma numa espécie de gel não digerível, provocando sensação de saciedade”, explica a médica e nutróloga Daniela Hueb. Com isso, você se sente bem alimentada com uma porção menor de comida. A pectina também reduz a velocidade com que o açúcar entra no sangue – quanto mais lento esse processo, mais a fome demora para voltar a dar sinal.

A pectina é uma fração de fibra volátil que ao ser ingerida pelo organismo forma um gel, dificultando a absorção de carboidratos. A fibra de maracujá trabalha reduzindo a taxa de glicose, colesterol e auxiliando em programas de emagrecimento e no controle da diabete.

Quando chega ao intestino, a pectina bloqueia a absorção da gordura dos alimentos.

O consumo da farinha tem de ser diário: uma vez ou outra não é suficiente para surtir efeito. Por isso, varie o modo de acrescentá-la ao cardápio. Pode ser no suco, no iogurte, na salada, na sopa. O ideal, porém, é consumir uma colher de sopa (10 gramas, 47 calorias) antes das três principais refeições. Mas a nutricionista Anita Sacks, da Universidade Federal de São Paulo, avisa: "Não adianta usar a farinha de maracujá e abusar da gordura e do açúcar". Portanto, aproveite para cortar alguns excessos à mesa e faça algum tipo de atividade física (vale até uma caminhada de 30 minutos pelo bairro dia sim, dia não).

Existem várias opções de farinha da casca do maracujá feitas por laboratórios farmacêuticos, à venda em farmácias e lojas de produtos naturais. Não compre o produto em saquinhos sem identificação em barracas de rua ou feiras livres. Se preferir, prepare a farinha em casa. Use, de preferência, maracujá orgânico (sem agrotóxico).

COMO FAZER

Lave 10 maracujás e mergulhe por 20 minutos numa mistura de água e vinagre. Corte-os ao meio, retire a polpa e guarde para fazer suco. Corte a casca em tirinhas, ponha numa assadeira e asse em forno médio por cerca de 30 minutos ou até que fiquem sequinhas. Espere esfriar. Bata no liquidificador (ou passe no processador) até obter uma farinha. Passe pela peneira e guarde num recipiente limpo e tampado.
Rendimento: Aproximadamente 150 gramas.

NUTRIENTES EXTRAS
  • A farinha de maracujá é fonte de várias vitaminas e minerais:

Niacina (vitamina B3): atua na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago.

Ferro: previne anemia e aumenta a disposição.

Cálcio: ajuda a fortalecer os ossos, além de melhorar a memória, a oxigenação das células e a circulação.

DOSE DIÁRIA RECOMENDADA

Uma colher de sopa cheia três vezes ao dia, que equivalem a 30 gramas de fibra de maracujá ao dia.

Texto adaptado de
http://www.senado.gov.br/sf/senado/portaldoservidor/jornal/Jornal85/nutricao_maracuja.aspx

Um comentário:

LZ disse...

Bagaço de laranja tbm é rico em pectina. Basta lavar os bagaços, com a casca mesmo, torrar no forno e depois moer ou triturar no liquidificador. Usa-se igual