Cura Pela Natureza, saúde e tratamentos naturais

Consumo de peixe ajuda a aliviar cólica menstrual

Uma das maiores aflições das mulheres ao longo da vida é a cólica menstrual.

A cólica menstrual é, na verdade, uma dor que causa desconforto na região pélvica e surge em decorrência da liberação de prostaglandina, substância responsável pelas contrações do útero que fazem o sangue ser eliminado, quando o óvulo não é fecundado.

Há anti-inflamatórios específicos para esse tipo de dor.

Mas, além muito melhor que esse método, exercicios físicos regulares e o consumo de alguns alimentos podem ajudar a diminuir as dores da cólica.

Atividades como caminhar, correr, andar de bicicleta ou patinete e jogar futebol ajudam muito na redução de dores menstruais.

Além disso, os ácidos graxos encontrados nos peixes (e também nas sementes de amendôas) possuem ação anti-inflamatória, além de diminuir riscos de problemas no coração.

As hortaliças e o chá de louro também ajudam a combater a cólica menstrual.

Já os alimentos gordurosos, o café e o chocolate tendem a intensificar a dor, pois aumentam a produção dos hormônios que a causam.

Como dissemos, peixe e amêndoas contêm ácidos graxos, que, com sua atividade anti-inflamatória, ajudam a diminuir a cólica menstrual.

E, por isso, uma receita com esses dois ingredientes é perfeita para quem quer evitar esse incômodo.

Essa receita - peixe com amêndoas - está logo a seguir.

INGREDIENTES


4 pedaços de cação

Suco de limão

1/3 xícara (chá) de amendôas trituradas (pode usar o processador ou liquidificador para isso)

1 dente de alho amassado

1/3 xícara (chá) de farinha de rosca

3 colheres (sopa) de azeite de oliva

1 colher (sopa) de orégano

Sal a gosto

MODO DE PREPARAR 

Tempere o peixe com suco de limão e sal.

Em um pote, coloque as amendôas, o alho, a farinha de rosca, o azeite e o orégano.

Misture esses ingredientes até formar uma pasta de farofa.

Cubra o peixe com essa pasta.

Leve ao forno médio,  já preaquecido, até dourar (cerca de 20 minutos)

Retire e sirva.

Leia Mais ►

Receita de chocolate saudável e prático: sem lactose, glúten e açúcar e pronto em 5 minutos

Imagine um chocolate de verdade, muito saboroso e que só faz bem.

Além disso, um chocolate sem lactose, sem glúten, sem conservantes e, por isso, muito saudável.

Mas as vantagens ainda não acabaram!

Este chocolate só leva cinco minutos para ser feito e contém basicamente apenas três ingredientes: cacau em pó, óleo de coco e mel.

Não é maravilhoso?

Este chocolate existe e você vai aprender a fazer agora:

INGREDIENTES

2 colheres (sopa) de óleo de coco (tem que estar líquido para a mistura ficar perfeita)

2 colheres (sopa) de cacau em pó

Meia colher (chá) de mel (ou agave se você for vegano)

Sementes de chia (opcional)

MODO DE PREPARO

Misture os 3 ingredientes em uma tigela e mexa até criar uma textura pastosa.

Experimente a mistura para ver se ela está boa para o seu paladar.

Caso esteja muito amarga ainda, acrescente mais meia colher (chá) de mel à mistura.

Agora chegou a hora de modelar o chocolate.

E você tem duas opções: utilizar fôrmas de silicone para bombons e cupcakes ou utilizar um prato e pôr em cima dele papel vegetal.

Coloque a mistura nas forminhas ou no prato e aguarde endurecer.

Existe ainda a possibilidade de jogar sementes de chia em cima do chocolate.

Fica muito bom!

A chia, além de deixar o chocolate mais saudável, dá uma sensação de saciedade muito positiva, pois a gente termina comendo menos chocolate, o que é muito bom, pois todo o excesso é ruim.

E as sementes de chia deixam o chocolate bem crocante, ou seja, ainda mais maravilhoso! 

O chocolate pode ser guardado tanto fora da geladeira, quanto dentro dela.
Leia Mais ►

Aprenda a fazer o leite de chia

A semente de chia foi muito valiosa em algumas civilizações antigas, como os astecas, os incas e os maias.

Ela era tão preciosa, que chegou a ser equivalente a dinheiro nessas civilizações.

A chia ficou esquecida por muito tempo.

Até que há pouco tempo ressurgiu com toda a força no mundo ocidental.

Essa semente contém cinco vezes mais cálcio do que o leite; três vezes mais ferro que o espinafre; quinze vezes mais magnésio que os brócolis; duas vezes mais potássio que a banana; três vezes mais antioxidantes que o mirtilo.

É também rica em manganês e boro (que também é fundamental para os ossos).

O que as pesquisas estão constatando é que as sementes de chia têm um dos maiores perfis de benefícios científicos de todos os alimentos conhecidos, incluindo: baixar o nível de açúcar no sangue; baixar a pressão arterial; aumentar a energia e a resistência; melhorar a saúde cardiovascular; estimular o crescimento e o desenvolvimento neurológico da criança; contribuir para a fluidez da membrana neural; melhorar as funções neurológicas; melhorar a saúde do cólon e do intestino; diminuir o refluxo gastroesofágico e a azia; tornar a perda de peso saudável;

A chia também oferece um surpreendente equilíbrio de macronutrientes, óleos e fibras.

Por não ter glúten, é ótima para celíacos.

As sementes de chia oferecem a maior porcentagem natural conhecida de ácido graxo, ômega 3 (60%-64%).

Os ácidos graxos são necessários para a absorção das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K e da atividade glandular normal, especialmente para as suprarrenais e a glândula tireoide.

Eles também nutrem a pele e são essenciais para deixar saudáveis mucosas e nervos, bem como para o funcionamento normal do sistema reprodutivo.

Também podem ser importantes na redução de depósitos de colesterol.

A camada externa da semente é rica em fibras solúveis e mucilagem.

As fibras insolúveis arrastam detritos e toxinas das paredes do cólon.

Para resumir, a chia:

- ajuda a emagrecer

- é anti-inflamatória

- tem ação antioxidante

- controla diabetes

- previne doenças cardiovasculares

- promove recuperação musculas pós-treino

Os incríveis benefícios dessa semente podem ser obtidos de uma forma muito saborosa: com o leite de chia.

A receite á muito fácil.

Vale a pena aprender.

INGREDIENTES

2 xícaras de sementes de chia

1 xícara de amêndoas picadas

Meia colher (sopa) de canela em pó

2 xícaras e meia de água

MODO DE PREPARO

Bata no liquidificador as sementes de chia e as amêndoas com a água e a canela em pó.

Em seguida, coe a mistura e sirva.

O restante, se sobrar, você pode guardar na geladeira, onde se conservará bem por 2 dias.
Leia Mais ►

Leite condensado caseiro e diet

Quem não gosta de doce na sobremesa?

Na maioria das vezes, os doces são feitos com leite condensado.

Sabemos que esse produto tem bastante gordura, além de ser um alimento "pesado" e indigesto para muitos. 

Por isso vamos ensinar como fazer um leite condensado natural.

Ele é feito com coco e inhame.


E é leve e de fácil digestão. 

Se você fizer tudo certinho, a consistência será a mesma do leite condensado industrializado.

O melhor de tudo é que os ingredientes são todos naturais, não há nenhum produto químico nocivo.

Anote a receita:

INGREDIENTES

Meia xícara de coco fresco seco sem casca

Meia xícara de inhame

4 xícaras de água filtrada

Meia xícara de açúcar mascavo

MODO DE PREPARO

Coloque o coco e o inhame de molho em 1 xícara de água filtrada e deixe por 8 horas.

Em seguida, escorra a água e leve o coco e o inhame ao liquidificador com mais 3 xícaras de água filtrada. 

Bata bem.

Coe a mistura e separe a parte líquida da parte sólida.

Encha 3 copos (a parte líquida) da mistura em uma panela, acrescente o açúcar e leve ao fogo baixo.

Mexa sem parar até que desgrude do fundo da panela e ganhe a consistência desejada.

Armazene na geladeira por 4 quatro dias ou no freezer por 3 meses.
Leia Mais ►

Receita de leite de inhame

Leite de vaca é para bezerro, e não para  humanos.

O ser humano transgride as leis naturais ao consumir um leite que não foi concebido para ele.

Talvez por isso a alergia e a intolerância ao leite sejam cada vez mais comuns entre nós.

E esses problemas são agravados pelo tipo de leite que consumimos nos dias atuais: o longa vida, por exemplo, nem vira coalhada.


Reconhecemos que o leite de vaca é muito versátil, pois entra na composição de muitas receitas, como bolos  e vitaminas de frutas.

Mas existe alternativa para quem quer ficar longe do leite de vaca: os leites vegetais.

Um desses leites de origem vegetal é o de inhame.

Se você gosta de alimentos naturais e saudáveis, sem dúvida vai amar a receita de leite de inhame.

O inhame é um alimento riquíssimo em benefícios.

Fortalece a imunidade, limpa o sangue e a pele, protege o aparelho reprodutor feminino, ajuda a evitar a dengue...

Enfim, é tudo de bom!

Então, anote a receita, pois vale realmente a pena fazer e consumir o leite de inhame.

INGREDIENTES

4 inhames pequenos (do tipo japonês)

1 litro de água

MODO DE PREPARO

Pique os inhames lavados e descascados em cubos grandes.

No copo do liquidificador, adicione o inhame picado e a água, bata por quatro minutos na velocidade máxima.

Coe a mistura numa peneira de malha grossa sem pressionar com a colher e aguarde cinco minutos.

Após esse procedimento, o seu leite de inhame está pronto.

Conserve até 5 dias guardando dentro da geladeira.

Obervações:

1. Não descarte a polpa que sobrou, aproveita para sopas  ou para engrossar molhos.

2. Se o inhame causar coceira na pele na hora de descascar, afervente o leite quando for consumi-lo.
Leia Mais ►

Receita de supernutritivo pão sem glúten

Este pão tem muitos vantagens.

Ele não leva glúten, substância do trigo comum causadora de alergias e relacionada à obesidade.

E, devido à sua rica composição, é ótima fonte de vitaminas e minerais.

Sem falar que é muito bom!

Não tem segredos esta receita.

O único trabalho é conseguir juntar todos os ingredientes.

Mas essa dificuldade não existirá se você procurá-los numa boa loja de produtos naturais.

Feito isso, você vai pôr a mão na massa.



E vai adorar o resultado.

Lá vai a receita:

INGREDIENTES

Meia xícara de farinha de grão-de-bico (compra-se em lojas de produtos naturais)

Meia xícara de farinha de castanha-do-pará (compra-se em lojas de produtos naturais)

Meia xícara de farinha de milho (compra-se em lojas de produtos naturais)

Meia xícara de linhaça (compra-se em lojas de produtos naturais)

1 xícara de farinha de trigo sarraceno (compra-se em lojas de produtos naturais)

3 colheres de sopa de farinha de chia (compra-se em lojas de produtos naturais)

2 colheres de sopa de amaranto em flocos (compra-se em lojas de produtos naturais)

2 colheres de sopa de biomassa de banana verde (compra-se em lojas de produtos naturais)

2 ovos

1 colher de vinagre de maçã (compra-se em lojas de produtos naturais ou supermercados)

Opcional: grãos como chia, linhaça, pepitas de girassol

250 mL de leite vegetal (pode ser o de amêndoas; receita <AQUI>)

1 colher (sopa) de fermento para pão

1 colher (sopa) de açúcar demerara 

1 colher (sobremesa) de sal

MODO DE PREPARO

Primeiro aqueça 150 mL de leite vegetal e coloque o açúcar e o fermento para fermentar por uns minutos.

Enquanto isso, misture no processaor o restante do leite vegetal, os demais ingredientes líquidos e as farinhas.

Depois, em um vasilha, misture a massa do processador com o fermento.

Ficará uma massa um pouco mole.

Deixe crescer por cerca de 8~10 horas dentro de forno aquecido, mas desligado.

Depois disso, é só assar em forno a 180ºC por cerca de 40~50 minutos (o tempo pode variar).

Importante: não há óleo na receita porque a castanha já é bem rica em óleos.
Leia Mais ►

Farinha de sementes de abóbora faz maravilhas pela saúde

A semente de abóbora contém de 44% a 50% de fração oleosa (rica em ácidos graxos mono e poli-insaturados), elevado teor de fibras (23-27%) em relação às demais sementes, albuminas (proteínas – 37% a 40%), cucurbitacina, sais minerais, especialmente zinco, magnésio e potássio, vitaminas do complexo B, sais do ácido fólico (folatos) e outros nutrientes.

A presença cucurbitacina, substância que lhe dá a classificação botânica, confere à semente de abóbora reconhecida propriedade anti-inflamatória, principalmente nas doenças da próstata e do sistema urinário.

Ela é ainda um ótimo vermífugo para adultos e crianças.

O psicólogo Jonny Bowden (Doutorado em nutrição pela Universidade Clayton/EUA), que se dedica à pesquisa dos alimentos há duas décadas, fez em 2008 uma lista dos dez alimentos para os quais damos pouca atenção, mas que deveriam fazer parte da alimentação diária.

O décimo da lista é a semente de abóbora, por ser uma boa fonte de magnésio, e, segundo estudos franceses, pessoas com altas taxas de magnésio no sangue têm 40% menos chances de sofrer uma morte prematura do que aqueles com baixos índices.

Rica em ácidos graxos monoinsaturados, pesquisas têm comprovado que o óleo contido nas sementes de abóbora apresenta resultados benéficos no tratamento de problemas da vesícula (congestão e cálculos) e próstata (hiperplasia).

Estudos revelam que o seu consumo diário tem efeito redutor das taxas de colesterol e triglicérides.

As vitaminas A, B1, B2, E, niacina, ácido fólico, e os minerais magnésio, zinco, ferro, cobre, potássio, manganês, cálcio e selênio complementam esse pacote nutricional, que promove saúde ao coração.

A semente de abóbora é rica em potássio (919 miligramas), mineral que cumpre importante função no controle da pressão arterial.

A concentração de fibras na semente de abóbora é bastante elevada, o que torna o consumo diário desta semente muito indicado na prevenção e tratamento da prisão de ventre.

Rica em vitamina E, de reconhecida ação antioxidante, o consumo diário desta semente pode ser um coadjuvante no combate ao envelhecimento precoce, não só da pele, como das células de todo o organismo.

A dose recomendada de vitamina E para homens e mulheres é de 15 miligramas/dia.

Ela é também rica em vitamina A, que previne doenças como a degeneração macular.

O óleo extraído da semente de abóbora, usado tanto interna quanto externamente, auxilia no tratamento de queda de cabelo, pois combate o DHT (Di-hidrotestosterona), que é o hormônio que penetra nos receptores dos folículos pilosos, iniciando um processo de enfraquecimento e perda dos cabelos.

A semente de abóbora é considerada um dos melhores tratamentos naturais na prevenção de problemas da próstata e trato urinário.

Seus lipídios e alta concentração de zinco melhoram a tonicidade dos músculos da bexiga, descongestionando a próstata.

Ela pode ser ministrada como um coadjuvante na hipertrofia e inflamação da próstata e também para prevenir quadros de inflamação da vesícula urinária.

Vermífugo

A abóbora está inscrita nas Farmacopeias Brasileiras I e II, nas quais consta como parte usada a sua semente.

Há destaque para a ação anti-helmíntica (vermífuga) das sementes de abóbora, particularmente no combate à tênia.

O princípio ativo que lhe confere esta notável propriedade é a cucurbitacina.

Uma boa maneira de aproveitar todas essas propriedades da semente de abóbora é consumindo a sua farinha.

De preparo rápido e fácil, essa farinha pode ser adicionada em vitaminas, sopas, saladas e em receitas de bolo.

Quer saber como fazê-la?

Anote:

INGREDIENTES

Sementes de 1 abóbora

MODO DE PREPARO

Deixe as sementes de molho em água filtrada por algumas horas.

Depois, seque-as com o auxílio de um pano e leve-as ao forno moderado por 10 minutos.

(Você também pode deixá-la secá-las no ao natural, recebendo a luz do sol, por 12 horas.)

Feito isso, torre as sementes em uma frigideira até que fiquem douradas (cuidado para não queimá-las).

Bata as sementes secas no liquidificador e depois peneire para obter um pó fino.

Guarde a farinha em um pote com tampa.

MODO DE USAR

A dose recomendada são, no máximo, 3 colheres (sopa) da farinha diariamente. 
Leia Mais ►

Receita de conserva de beterraba: saborosa e rica em benefícios


A beterraba é ótima para o sangue e, por consequência, para a pele.

Ela desintoxica fígado e vesícula biliar e é rica nas vitaminas A e C e em minerais como ferro, cálcio, enxofre e potássio. 

A beterraba também fortalece o coração e as glândulas endócrinas; combate anemia, diabetes, derrame, obesidade e tumores em geral. 

Você pode obter todos esses benefícios de uma forma muito saborosa: consumindo a conserva de beterraba.

A receita é muito fácil.

Aprenda:

INGREDIENTES

1 kg de beterrabas

600 mL de água

1 colher (chá) de sal

2 colheres (sopa) de vinagre branco

MODO DE PREPARO

Descascar as beterrabas e corte-as em rodelas finas - tipo chips.

Ferva a água com o sal.

Retire do fogo e junte o vinagre.

Ponha as rodelas de beterraba em frascos esterilizados e cubra-as com a água que foi fervida.

Feche muito bem o frascos.

Vede as tampas com vácuo, da seguinte forma: coloque os frascos numa panela com a água fervendo, de maneira que fiquem completamente submersos.

Deixe ferver em fogo brando por cerca de 10 minutos.

Desligue o fogão e retire os frascos quando a água esfriar.

Está pronta a conserva e ela dura, armazenada em frascos bem vedados (com o vácuo), aproximadamente 1 ano.
Leia Mais ►

Receita de massa de lasanha sem glúten

Nós adoramos lasanha!

E é dificil encontrar quem não goste.

O ruim da lasanha é o fato de ela ser normalmente hipercalórica.

E o principal responsável por isso é glúten da farinha de trigo.

O molho e o recheio também contam.

Mas sem dúvida o glúten é o mais negativo da massa de lasanha.

O glúten pode contribuir para o ganho de peso.

E tem um efeito tão viciante como um agente narcótico. 

Os efeitos semelhantes à substância narcótica sobre o cérebro impulsionam a compulsão e podem contribuir para o aparecimento de distúrbios mentais e distúrbios do apetite, que habitualmente acompanham as doenças ligadas à alimentação.

Comer glúten pode causar inflamação nas membranas sensíveis da mucosa intestinal, que pode desencadear uma resposta imune. 

Devido a essa reação imune, os indivíduos experimentam grandes variações de sintomas, como erupções cutâneas, fadiga mental, distúrbios de comportamento como hiperatividade em crianças, sintomas gastrointestinais, como diarreia ou constipação, dores de cabeça crônicas, problemas respiratórios e muito mais.

Em resumo, o consumo de glúten pode causar muitos malefícios.

E não só aos que são alérgicos a ele, ressalte-se.

O glúten é prejudicial a todos.

Por isso vale a pena o esforço para não consumi-lo.

E receitas como a que vamos ensinar adiante nos ajudam a ficar longe dessa substância sem renunciar ao prazer de uma deliciosa refeição.  

O primeiro passo da massa de lasanha sem glúten é a farinha preparada:

RECEITA DA FARINHA PREPARADA (SEM GLÚTEN)

INGREDIENTES 3 xícaras (chá) de farinha de arroz 

1 xícara (chá) de fécula de batata

1/2 xícara (chá) de polvilho doce

MODO DE PREPARO

Misture bem os três ingredientes. 

MASSA DE LASANHA

500 gramas de farinha preparada

5 ovos (de preferência caipiras/ orgânicos)

5 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem

Água (só para dar liga)

MODO DE PREPARO

Acrescente os ovos e o azeite aos 500 gramas de farinha preparada.

Mexa bem com uma colher.

Coloque água aos poucos até dar liga.

Comece a sovar a massa.

Quando ficar dura, sem grudar nas mãos, abra com um rolo de massa.

Corte a massa em formato de lasanha (em retângulos).

Ponha a água para ferver com 1 colher (sopa) de azeite de oliva e sal.

Quando a água estiver  fervendo, acrescente as tiras de lasanha, mexendo com cuidado para elas não grudarem.

Cozinhe por apenas 1 minuto.

Retire do fogo e monte a lasanha com seu recheio favorito em fôrma untada com azeite.

Preaqueça o forno (220 graus) e leve a lasanha para assar por 20 minutos.
Leia Mais ►

Receita natural para prevenir AVC/derrame

Quando há um entupimento ou rompimento dos vasos que levam o sangue ao cérebro, provocando uma paralisia cerebral, chamamos de AVC – acidente vascular cerebral.

O AVC (ou derrame) é tão terrível que causa a diminuição ou a perda total dos movimentos da face, braço ou perna de um lado do corpo.

Além disso, o derrame cerebral pode dificultar a fala, a visão e a expressão do paciente.

O tratamento precisa ser iniciado o mais rápido possível, pois é esse tempo que vai determinar as sequelas deixadas.


Veja a lista de recomendações que preparamos para que se evite o AVC:

- Não fume

- Evite bebidas alcoólicas

- Evite o uso de anticoncepcionais hormonais

- Pratique atividades físicas regularmente

- Tenha uma alimentação saudável

- Evite o estresse

O mais importante de tudo, porém, é o último tópico: “Evite o estresse”.

Embora seja muito difícil, principalmente para quem mora em cidade grande, descansar a mente e sentir a paz de espírito é a melhor recomendação.

Nós vamos agora dar uma superforça para você se proteger contra esse mal.

É uma receita antiga, da época da vovó, mas estranhamente muito pouco divulgada.

Anote:

INGREDIENTES

200 ml de limão – qualquer uma variedade, menos o limão taiti.

Uma colher de sopa de sal amargo (o mesmo que sal de Epsom) – encontra-se nas boas farmácias.

MODO DE PREPARO

Misture os ingredientes e tome antes de dormir.

A receita é para ser usada apenas uma vez por ano (mas todos os anos).
Leia Mais ►

Tudo o que você precisa saber para se proteger do ebola

O ebola é um vírus do gênero Ebolavirus.

O primeiro registro dele foi em 1976, na República Democrática do Congo, próximo ao rio Ebola - daí o seu nome.

Já houve diversos surtos do ebola na África.

Os principais foram em 1995, em 2000 e em 2007.

Em 2014 está ocorrendo um novo surto.

E este é mais preocupante porque nunca o vírus havia se propagado para tantos países diferentes como no surto atual.

Até agora, cerca de 2.000 casos da doença foram registrados na Guiné, Libéria, Serra Leoa e Nigéria, todos no continente africano. 

Os sintomas mais comuns da doença são febre, dores de cabeça, nas articulações e musculares, fraqueza, diarreia, vômitos, dor estomacal, falta de apetite e, em alguns casos, hemorragia.

O contágio ocorre por contato direto com fluidos corporais de uma pessoa infectada ou após a exposição a objetos - como seringas e talheres - que estejam contaminados com secreções infectadas.

O ebola só é contagioso quando os sintomas aparecem.

A maioria das pessoas que se infecta com o ebola teve contato com quem já estava doente e sentindo os sintomas.

O vírus é muito agressivo e fatal em 90% dos casos.

Quem consegue se recuperar deve tomar precauções extraordinárias durante pelo menos dois meses, porque pode continuar a passar a doença para outros.

Os homens, por exemplo, que se recuperarem da doença ainda podem transmitir o vírus através do sêmen até sete semanas depois da recuperação.

É importante também evitar contato com cadáveres infectados.

O ebola também foi transmitido a pessoas que tiveram contato com o corpo de alguém que morreu deste mal e isso geralmente ocorre durante os preparativos para um funeral.

É por isso que as pessoas que morrem de ebola devem ser enterradas rapidamente e de forma segura.

Os profissionais da saúde responsáveis por atender e tratar as vítimas devem usar máscaras, luvas e batas de mangas compridas enquanto cuidam dos pacientes.

É muito importante também a higiene rotineira das mãos (muito bem-feita com sabonete e, depois, álcool em gel 70 graus) antes e depois do contato com um paciente com febre, assim como cuidados extremos no uso e no descarte de agulhas e seringas.

O período de incubação do ebola - ou seja, o tempo que vai da contaminação até o aparecimento dos sintomas - é de 21 dias.

Devemos nos preocupar com o ebola?

Autoridades da área de saúde do Brasil dizem que não.

Para elas, é muito pouco provável que o ebola chegue ao país.

No entanto, se você costuma viajar aos países onde o surto da doença está ocorrendo ou teve contato com alguém que possa estar infectado com o vírus, precisa se preocupar: se, depois de uma viagem à região endêmica, você apresentar algum dos sintomas da doença, procure assistência médica imediatamente.
Leia Mais ►

Pasta de alho e gengibre ajuda a controlar colesterol e fortalece imunidade

A pasta de alho e gengibre é tudo de bom.

Todos nós sabemos que o alho e o gengibre têm incríveis poderes medicinais.

Agora imagine a junção desses dois ingredientes numa mesma receita?

É indiscutível que ela será muito poderosa.

Concorda?

A lista de benefícios do alho é extensa: tem ação antibiótica, anti-inflamatória, antimicrobiana, antiasmática, antioxidante, anticancerígena, entre outras, além de ser protetor cardiovascular.

O alho ainda reduz pressão alta e previne arteriosclerose; auxilia na dissolução de cálculos renais; tem efeito tônico sobre pessoas enfraquecidas; previne gripes e resfriados; poderoso desinfetante, ajuda na expulsão dos vermes; age na bronquite, diarreia, calcificação das artérias, vermes intestinais, hemorroidas, varizes, enfermidades dos rins, da bexiga e da vista, dores de cabeça, enxaqueca, obesidade, hidropisia, tumores, herpes, afecções da pele, melancolia, histeria, reumatismo, gota, hipocondria, problemas respiratórios, palpitações cardíacas, sensação de medo, inflamações da mucosa, menopausa, tifo, prisão de ventre, paralisação do fígado e do baço, perturbação do metabolismo, nefrite, desarranjos estomacais, falta de apetite, tosse, rouquidão, catarro, nervosismo, abcessos pulmonares, asma, problemas circulatórios, pressão alta, diabetes.

Ufa!!!

Ah, mas o gengibre não fica atrás: tem ação anti-inflamatória, anticoagulante, antioxidante e bactericida.

E possui propriedades terapêuticas sobre o sistema digestivo, pois estimula a liberação de enzimas que promovem o esvaziamento do estômago.

Por melhorar a circulação e ser anti-inflamatória, atua contra varizes e celulite.

Outro benefício do gengibre é a diminuição das taxas do colesterol ruim. 

Mas vamos voltar à receita.

Esta pasta de alho e gengibre é muito utilizada na culinária indiana.

E pode ser usada de diversas formas: para saltear massa, legumes, como base para molhos, para temperar peixe grelhado, para passar na torrada... 

É seu preparo é simples e rápido.

Confira:

INGREDIENTES

80g de gengibre fresco

80g de alho

(Ou seja, a mesma quantidade de cada ingrediente)

MODO DE PREPARAR

Descasque e corte o gengibre em finas rodelas.

Descasque o alho e misture com o gengibre.

Triture tudo num processador ou liquidificador. 

Coloque num frasco e guarde na geladeira. 

Sob refrigeração, a validade dela chega a duas semanas.
Leia Mais ►